Saudade

tumblr_ll0b9bbRaC1qjqufko1_500Há dias que marcam a vida da gente…

Dias que deixam marcas para sempre no nosso íntimo, que apenas são despertadas pelas emoções que nos dão vida. Este fenómeno é conhecido como “Saudade”.

Nos últimos dias, talvez meses, fui vítima deste fenómeno. Tenho sido consumida pela saudade.

Saudade de tempos outrora felizes, acompanhados por quem tomei “meus” para sempre…

Ai que dor! Dói… Mas dói tanto que a Razão dá lugar ao Desespero, monstro esse que nos transforma e nos afasta cada vez mais da luz e da felicidade. Não há vacina, comprimido ou chá que o repele… Uma vez confrontados com este somos convidados a entrar num mundo onde reina o conformismo, onde nada vale a pena, povoado por corpos vazios que esperam, lentamente, que um dia deixem de “ser”.

É duro descobrir que “para sempre” é muito tempo e que não temos nada a não ser o nosso carácter. É duro descobrir que as nossas armas não passam de pequenos brinquedos no que toca à guerra com o destino.

Então… porque é que continuamos a lutar, batalha após batalha, numa guerra onde sabemos que iremos sair perdedores? Porque é que lutamos tanto para vencer o Desespero? O que nos leva a fazer isso?

As pequenas coisas. Sim, são as pequenas coisas que nos fazem seguir em frente e rumar até novas terras, em busca de novas aventuras. Um abraço bem apertado. Um dia de sol. Um mergulho refrescante no Verão. Um filme junto à lareira no Inverno. Um beijo na testa. Um “adoro-te”. A gargalhada das pessoas que mais amamos. Ver um amigo que costuma estar longe. A felicidade do nosso animal de estimação por nos ver chegar a casa. Um serão recheio de gargalhadas com os nossos amigos. Fazer alguém feliz só por estarmos lá. Sair vencedor após uma derrota numa coisa qualquer.

Pequenas coisas tornam-se grandes quando feitas com amor e dedicação, tanto ontem, como hoje, bem como amanhã. Então, qual a razão que justifica a conotação negativa que é dada à palavra saudade?

As memórias são o reflexo da evolução do nosso ser. Se ao olharmos para trás nos sentirmos nostálgicos e não conseguirmos suster uma lágrima que seja é tão bom sinal… É sinal que noutros tempos fomos felizes. Verdadeiramente felizes.

Se, por outro lado, apenas vemos “fantasmas”, memórias que nos tornam vulneráveis, pois bem… é passado. É passado. É passado. Já não existe hoje e, portanto, devemos estar felizes por isso mesmo.

As palavras tornam tudo tão simples que acabam por perder o valor. É fácil encontrar uma forma lógica de terminar a frase, contudo é um tormento colocar um ponto final nesta dor que me aflige.

Um passo de cada vez, num caminho de cada vez, num dia de cada vez. Não há truques, segredos e muito menos milagres. Mas não vale a pena subir mais alto quando o primeiro passo está longe de ser dado.

Que saudade que eu tenho de não ter saudade…

Sonhos cor-de-rosa e um beijinho doce *

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s